Tipos de Carregadores

WRAP (elástico ou tecido)
O wrap é um tecido comprido, retangular, pode medir de 2 a 5 metros ou mais, e entre 60 e 75 centímetros de largura. Este tipo de carregador permite respeito total a posição fisiológica do bebê, e pode ser usado desde o primeiro dia. É um porta bebê muito versátil, permite uma grande variedade de amarrações, tanto na frente, lado, costas e posicionamento para amamentação.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A grande maioria dos wraps elásticos são compostos de malha de algodão com uma porcentagem de elastano.
O ideal é que a porcentagem de elastano seja baixa, suficiente para permitir a possibilidade de ajuste em pré-amarrações, mas sem atrapalhar ou minimizar demasiado a capacidade de suporte. Wraps elásticos com maior porcentagem de elastano não darão suporte adequado, e será práticamente impossível garantir segurança, conforto e posição adequada para bebê e adulto.
Dependendo do tipo de material usado, a qualidade deste mesmo e da gramatura do tecido, o wrap elástico suportará mais ou menos peso. Geralmente eles começam a não ser tão adequados e confortáveis por volta dos 10 kg, sendo que tem alguns que suportam mais. Se atentem sempre às recomendações das diferentes marcas, desde que estas sejam confiáveis.
Geralmente é a primeira opção para carregar bebês recém nascidos, muitas familias o acham mais fácil de usar e muito aconchegante.

Prós:
• Geralmente são mais económicos que os wraps tecidos.
• É possivel fazer uma pre-amarracão, o que pode trazer maior facilidade no uso.
• Tamanho único que serve para todos.
• Bom para começar a carregar gêmeos recém-nascidos.
• Perfeito para recém nascidos pela suavidade do tecido.
• Muito aconchegante.

Contras:
• Não são muito indicados para carregar nas costas .
• A maioria dos wraps elásticos são confortáveis para carregar bebes até uns 10 kgs. Com mais peso, o tecido começa a ceder, não garante a sustentação adequada nem o conforto ideal.
• Por ter elastano, é um carregador mais quente que um wrap tecido.

A imagem pode conter: 2 pessoas
SLING DE ARGOLAS:
É um tecido de aproximadamente 2m (com variantes dependendo do fabricante), com 2 argolas costuradas em uma das pontas, que permitem um ajuste perfeito de acordo com o tamanho do adulto e do bebê. É muito importante garantir a qualidade das argolas: não devem ter emendas e devem ser confeccionadas de alumínio ou nylon injetado. Também é importante que o tecido seja adequado: tecidos muito finos (como o tricoline) podem ser difíceis de ajustar e podem resultar cortantes atrás das perninhas dos bebês e/ou no ombro; tecidos elásticos ou semi-elásticos não são seguros para sling de argolas, e com tecido dry fit sería indicado APENAS para o uso na água, pois o tecido desliza nas argolas quando seco e isso o faz perigoso.
No sling de argolas é de extrema importância fazer muito bem o assento, pois isso garante que o bebê não caia.
Prós:
• Fácil de colocar e ajustar.
• É um portabebê muito versátil, pode ser usado desde o primeiro dia até com bebês maiores.
• Permite carregar na frente, lado e costas (indicado para carregar bebês maiores).
• Fácilmente ajustável para amamentar, já que é muito fácil mudar o bebê da posição vertical para a posição semi-deitado ((embrando que essa posição é apenas para amamentar, sendo indicado voltar a posição inicial).
• Pequeno, fácil de guardar na bolsa.
• Perfeito para o sobe-desce na fase de engatinhar e andar.
• Adequado para a maioria das pessoas (altura, tamanho), e fácil de ajustar para cada pessoa que carrega.
• Tirar o bebê do sling de argolas é muito rápido.
• Dependendo do tecido, é uma opcao bem fresca para o calor pois terá só uma camada de tecido no corpo do bebê e uma no corpo de quem carrega.Contras:
• É um carregador assimétrico, o peso do bebê fica num só ombro. A medida que o bebê fica mais pesado, nao é tão confortável para passeios longos.
• Limita um pouco os movimentos do braço onde estão apoiadas as argolas.
• Deixar as argolas na altura correta pode levar um pouco de treino e prática.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna
WRAP TECIDO PLANO:
Os wraps tecidos podem ser de vários tipos de tramas e de materiais. Os mais comuns no Brasil são confeccionados com a sarja cruzada, tecido plano tipo hammock, ou de tear artesanal. Também existem outros tipos de trama, como a sarja diamante, e jacquard. A característica principal desses tecidos é que eles tem maleabilidade no sentido diagonal, sem ter elasticidade no sentido horizontal ou vertical. Os materiais costumam ser algodão e outras fibras naturais, o que os fazem mais frescos que wraps elásticos.Prós:
• É o porta bebê mais versátil, permite uma grande variedade de amarrações na frente, lado e costas.
• Tem diversos tamanhos para adequarse ao tamanho da pessoa que carrega, do bebê e do tipo de amarração.
• Indicado desde o primeiro dia até crianças maiores.
• Ampla variedade de materiais e composições: opções para todos os gostos, climas, estilos.
• Ampla variedade de valores: desde os mais acessíveis até as ‘joias’.Contras:
• Precisa de mais técnica e capricho no ajuste para que a amarração fique bem tensionada, segura e confortável.
• Um wrap muito comprido pode ser muito volumoso, mas um wrap curto pode ser tão compacto quanto um sling de argolas.
• Usar um wrap comprido e ter que amarrar na rua em dias chuvosos ou lugares sujos pode ser um desafio, mas com a prática e algumas amarrações semi-prontas pode-se evitar esse problema.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
MEH DAI:
Adaptação de um carregador chinês, é um carregador pré-formado, com um painel retangular de tecido e 4 faixas de tecido saindo dos cantos. É similar a uma mochila mas ao invés de fivelas, tem faixas de tecido que se amarram.
Existe uma grande variedade de meitais: tanto em tamanho quanto aos detalhes. Alguns tem faixas acolchoadas, capuz, acolchoado na região que sustenta as pernas do bebê, etc. Inclusive alguns são evolutivos, que permitem uma redução da base e altura do painel, podendo assim carregar bebês um pouco menores.
É recomendado para bebês que já sentam sozinhos, geralmente por volta dos 5-6 meses, pois não permite uma sustentação ponto a ponto da coluna do bebê como no wrap e sling de argolas, a não ser que seja evolutivo.
Prós:
• Adequado para carregar na frente, lado e costas.
• Um tamanho único serve para a maioria dos adultos, podendo assim ser usado por diferentes pessoas.
• Fácil para carregar um bebê nas costas a uma altura boa.
• O peso fica bem distribuido entre os dois ombros e cintura, proporcionando um conforto similar ao wrap, porém com maior rapidez e facilidade de instalacão.
• Alguns podem ser usados com recém nascidos (os evolutivos)
• O meitai geralmente permite carregar crianças de até 3 anos. Com bebês maiores, as faixas podem ser estendidas para oferecer maior suporte.
• Variedade de terminações com as faixas, sendo assim mais fácil encontrar um estilo confortável para o bebê e quem carrega.Contras:
• Amamentar não e tão fácil quanto com o wrap ou sling de argolas.
• Pode ser um tanto volumoso para caber en qualquer bolsa.
• É preciso tomar em conta o tamanho do bebê ao comprar o meitai para conseguir uma boa sustentacão de um joelho até o outro.

A imagem pode conter: 1 pessoa
MOCHILA ERGONOMICA:
É um porta bebê pré-formado, com um painel, cinto e alças como uma mochila que se fecham e ajustam por meio de fivelas, e uma trava no peito.
É indicado para bebês maiores que sustentam bem a coluna, por não oferecer ajuste prega por prega. Dependendo do tamanho, pode ser utilizado até os 3 anos da criança, se oferecer o suporte joelho a joelho ideal.
Existe uma enorme variedade de estilos, tamanhos, acessórios. Algumas marcas oferecem vários tamanhos (baby, de 6 meses a 2 anos; e toddler, de 2 a 5 anos). Existe também um tipo de mochilas conhecidas como “evolutivas”; geralmente feitas com tecido de wrap, e que permitem ajuste no painel para bebês menores.Prós:
• Muito fácil de usar.
• Adequado para carregar na frente e costas. Algumas podem ser usadas de lado.
• Fácilmente ajustável para ser usado por mais de uma pessoa.
• Alças acolchoadas são muito confortáveis para passeios longos, inclusive com crianças maiores.
• O peso fica bem distribuido nos dois ombros e cintura.Contras:
• Precisa de um bom ajuste para ficar confortável.
• Mais difícil para amamentar: é preciso re-ajustar as alças depois de amamentar.
• A grande maioria das mochilas nao é indicada para bebês pequenos.
• Muito volumosa para guardar na bolsa.
• Geralmente é necessario considerar o tamanho do bebê e do adulto para comprar uma mochila de tamanho adequado.

A imagem pode conter: 2 pessoas
ONBUHIMO:
Porta bebê de origem japonesa, é composto de painel e duas alças que são apoiadas nos ombros do adulto. Porém não possui o cinto localizado no abdômen como a mochila, por isso torna-se um carregador ideal para gestantes e pessoas com assoalho pélvico delicado.
Também é indicado para bebês maiores que possuem controle da coluna. É bem importante carregar o bebê bastante alto no onbuhimo para evitar pressão no pescoço. A altura ideal ao carregar nas costas seria onde o bebê possa ver sobre o ombro de quem o carrega.Prós:
• Mais adequado para carregar nas costas (também possível de usar na frente, mas não é o mais indicado).
• Pequeno, fácil de guardar na bolsa.
• Fácil de conseguir deixar o bebê na altura adequada nas costas.
• Fácilmente ajustável.
• Otima opcão para carregar crianças maiores rápidamente.
• Por não ter o cinto, e uma otima opção para usar durante a gestação.Contras:
• O peso é distribuido somente nos ombros, então pode dar uma sensação de carregar mais peso que uma mochila.
• Não indicado para bebês pequenos.
• É preciso considerar o tamanho do bebê para comprar um onbuhimo de tamanho adequado.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, sapatos e texto
POUCH:
Carregador em forma de tubo, se dobra no meio para fazer um saco ventral, assimétrico e tem forma de rede. O uso do pouch é indicado somente para bebês que já têm controle da coluna, por volta dos 5-6 meses, e nunca deitados como numa rede, por risco de asfixia.Prós:
• E rápido de colocar e tirar.
• Ocupa muito pouco espaço, fácil de levar na bolsa.
Contras:
• Não permite muito ajuste, por isso é importante escolher o tamanho certo para o adulto que carrega e de acordo ao tamanho do bebê.
• O peso fica todo em um ombro só, então não é muito confortável para uso prolongado.

A imagem pode conter: 1 pessoa
KANGA ou CAPULANA:
Pano africano feito com tecido de algodão (wax), de forma retangular, tamanho aproximado 1,75m x 1,20m. Tem múltiples funções, sendo usado para carregar bebês, como vestimenta, pano de mesa, toalha, etc. É comumente usado para carregar bebês nas costas, amarrando no torso com dois nós, um encima do peito e outro embaixo. É indicado para carregar bebês desde que tem controle da coluna (5-6 meses) até uns 3 anos ou mais. Tradicionalmente é usado junto com outro tecido igual, para cobrir a cabeça do bebê quando dorme.Prós:
• É bem prático e sua colocação é muito rápida.
• O tecido wax é ligeiro e fresco, porém muito resistente, ideal para climas quentes.
• É pequeno, ocupa pouco espaço e cabe na bolsa.
• É um porta bebê muito económico.Contras:
• Necessita ajustes frequentes.
• Por ser utilizado em amarração de torso, o peso não se distribui sobre os ombros de quem carrega, e pode resultar pouco confortável para carregar muito tempo.
• Precisa ser desamarrado completamente para amamentar.
• Não é recomendado para iniciantes no carregar.

A imagem pode conter: filho
REBOZO:
É um xale de tecido, retangular, feito em tear manual, com franjas nas pontas. De origem mexicana, a função deste tecido não é somente carregar bebês, a palavra vem do verbo “rebozar”, que significa encobrir, por isso a peça tem o comprimento para envolver o corpo de um uma mulher. O rebozo é usado como acessório, como um instrumento que serve para o transporte das compras até para as parteiras tradicionais que o utilizam em exercícios de preparo da gestante para o parto e pós parto.
Como porta bebês, pode ser usado como um sling, porém no lugar das argolas dá-se um nó, geralmente deslizante para possibilitar o ajuste necessário do tecido.
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto, close-up e atividades ao ar livre
TIPOIA:
Faixa utilizada pelos indígenas para carregar bebês, feita com os materias disponíveis em cada aldeia. Fibras vegetais como cipós, fibra de coco, palha de buriti são os mais usados.
É indicada para bebês maiores que já tem pleno controle da coluna, pois é um carregador de suporte, não há possibilidade de ajuste prega a prega.
Existe uma grande variedade de tipoias entre um povo e outro, já que são feitas em função das tradicões de cada grupo.

Todos os textos disponibilizados pelo grupo Bem Carregar Bebê – Brasil são de livre circulação e uso não comercial. Somos um grupo de assessoras que pretende difundir o Bem Carregar de forma democrática, gratuita e livre, portanto ao utilizar informações publicadas nos arquivos do grupo, citar obrigatoriamente fonte e autoria.